sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Sal x pressão alta: descubra como equilibrar o consumo de sal na alimentação


Por Yahoo! Brasil 

É preciso ter cautela no consumo do sal. (Foto: iStock)O sal é imprescindível para o funcionamento do nosso organismo, é responsável pela regulação de água no organismo, armazena células no interstício e também é absorvido no trato gastrointestinal, sendo excretado pelos rins. Além disso, já foi considerado um grande inimigo para as pessoas que possuem pressão alta.

O sal ou cloreto de sódio está presente em quase todo o tipo de cardápio do brasileiro, nos queijos, molhos de tomate, comida congelada, fast food, biscoitos, em comida de restaurantes e supermercado. Mas é preciso ter cautela ao ingeri-lo.

A quantidade máxima de sal recomendada pelos médicos é de 2,4 gramas por dia, o equivalente a 6 gramas de sal. A cada nove gramas de sal ingerido, o corpo retém em média 1 litro de água. Na realidade, o grande problema não está só no sódio e sim, no cloreto. O sal de mesa, por exemplo, possui 40% de cloreto. O risco de consumir doses excessivas de sal é acabar desencadeando o aumento da pressão sanguínea e consequentemente a hipertensão, responsável pelo infarto e acidente vascular cerebral.

O abuso de sal pode acarretar uma série de graves doenças entre elas: AVC (derrames), insuficiência renal, câncer de estômago, pedras nos rins, diabetes, asma e osteoporose.

A pressão alta é o mais comum desses problemas. A genética também tem um grande peso, se no histórico familiar como avô, pai ou mãe sofrem de hipertensão arterial, provavelmente no futuro as gerações mais novas desencadearam a doença. Como os sintomas são menos perspectiveis, a pessoa só irá descobrir que tem pressão alta, quando começar a surgir dores de cabeça excessivas, falta de ar, visão turva, debilidade, sangramento pelo nariz, palpitações ou até desmaios.

Nos casos graves, a pressão alta pode provocar enfarte agudo de miocárdio, ou um derrame cerebral e até a morte de forma instantânea.

Uma alternativa para manter um equilíbrio do sal consumido é manter bons hábitos alimentares que pode ser considerado um fator preponderante para controlar a pressão arterial, alimentos ricos em cálcio e ingerir mais fibras e menos alimentos em gordura animal saturada. Manter o controle periódico de medir a pressão é um dos métodos de prevenção. É aconselhável não abusar do sal, caminhar, evitar o consumo de café e fumo.

Cuidados
O equilíbrio alimentar ainda é um grande aliado para quem sofre dessa doença. Alimentar-se corretamente pode gerar benefícios a saúde e o bem-estar.

“Um dos maiores sofrimentos dos hipertensos é na hora de se alimentar. O teor de sal existente nos alimentos processados e nas comidas preparadas em restaurante pode elevar a pressão. Como as pessoas ativas fazem boa parte das refeições fora de casa, é necessário manter uma restrição do tipo de alimentos que o hipertenso irá ingerir e não é uma tarefa nada fácil”, explica a endocrinologista Carolina Mantelli Borges, da Clínica de Especialidades Integrada.

Confira algumas dicas para se alimentar bem e fugir do sal:
  • Substitua o sal por temperos naturais (limão, alho, cebola, cheiro-verde, orégano, cominho, coentro e manjericão).
  • Substitua gorduras animais por óleos vegetais (óleo de soja, milho ou girassol).
  • Evite açúcar e doces.
  • Retire o saleiro da mesa.
  • Evite frituras.
  • Consuma alimentos que sejam fonte de fibras, como frutas, cereais integrais, hortaliças e legumes, de preferência crus.
  • Evite alimentos industrializados (molhos prontos, ketchup, caldos concentrados e mostarda).
  • Evite os embutidos (salsicha, linguiça, presunto e salame).
  • Evite as conservas e os enlatados.
  • Evite os salgadinhos para aperitivo (batata frita, amendoim e salgado).